Notícias

Postado às 09h30 | 15 janeiro 2021 |

Exercícios físicos: um aliado durante a pandemia

A pandemia mudou a rotina de muitas pessoas. A maioria se viu obrigada a ficar em casa. Com o corpo em menos movimento, um comportamento tornou-se realidade para muitos: o sedentarismo, considerado uma das doenças mais vistas do século XXI. 

O fato é que o sedentarismo está atrelado a outros problemas, como processo de regressão funcional, perda de flexibilidade articular e hipotrofia de fibras musculares, além de ser a principal causa do aumento da ocorrência de várias doenças, como a diabetes, obesidade e aumento do colesterol. Para combater isso, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que as pessoas realizem 75 a 150 minutos semanais de exercícios físicos. 

O coordenador fitness da Bodytech Tirol, Thiago Siqueira, explica que, ao atingir esse tempo mínimo estipulado, a pessoa sairá do estado de sedentarismo. A prática pode proporcionar diminuição da glicemia, melhor controle do peso corporal, diminuição dos níveis pressóricos, melhora dos níveis de colesterol, entre outros.

Embora com tantos benefícios, Thiago aponta que as pessoas podem não querer frequentar academias. “Sabemos que para quem não gosta de se exercitar, esse ambiente de academia não é aceito de imediato. Então, o nosso primeiro desafio é fazer com que o cliente crie o hábito de vir à academia, independente dele atingir esse tempo mínimo recomendado nas primeiras semanas. Ao conseguir encorajá-lo a vir mais vezes, esse tempo mínimo é facilmente superado”, afirma Thiago.

Thiago diz que a atividade física, tema da diretriz, se refere a qualquer movimento realizado pela musculatura, que gere qualquer gasto energético acima do metabolismo de repouso. Estas atividades podem ser realizadas no próprio dia-a-dia, como limpar a casa, lavar o carro, brincar com os filhos, passear com o cachorro, entre outros. Já o exercício físico está mais relacionado à prática dentro da academia, com atividades planejadas e objetivos específicos. Costumeiramente, esses objetivos estão relacionados a estética ou parâmetros de saúde. 

“Levando esses conceitos em consideração, para atender essa nova diretriz da OMS, se determinado indivíduo realiza apenas atividades domésticas e, no máximo, uma caminhada, sem tempo ou percurso especifico, deverá executar essas atividades por, pelo menos, 150 e até 300 minutos semanais”, recomenda. “Já o indivíduo que se exercita em intensidades maiores, atividades na academia por exemplo, precisa fazer no mínimo, 75 e, no máximo, 150 minutos semanais. ”

Uma pessoa que se engajou com os exercícios físicos dessa forma foi Sérgio Costa, de 53 anos. “Em 2017, o órgão que trabalho, o Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região (TRT), iniciou o projeto TRT NA MEDIDA, no qual fiz minha inscrição, mas não participei por achar que não me adaptaria à prática regular de exercícios físicos”, conta ele. O projeto tem como objetivo melhorar a qualidade de vida e a promover saúde aos magistrados e servidores, contribuindo para a redução de riscos e adoecimentos.

Em setembro de 2019, a terceira edição do projeto começaria. Ele e outros colegas de setor de trabalho se inscreveram. Nessa atividade, são escolhidos 30 servidores e são divididos em três grupos, contendo dois servidores que já participaram anteriormente e dois instrutores da Bodytech Tirol.  Os desafios eram atividades em equipe e individuais, para ver qual era a equipe que mais ganhava massa magra, perdia peso e gordura.

Sérgio ficou na equipe Azul e, na época, pesava em torno de 115kg. Aos poucos, ele foi se adaptando às rotinas de exercício e melhorando sua alimentação. “Frequentava a academia no primeiro horário, ou seja, às 5 da manhã. Fui bem recebido por todos e sempre estava lá. Durante os dois meses do desafio, não faltei um único dia, frequentei de domingo a domingo. Até nos feriados estava lá! ”, conta ele.

Sua equipe acabou sendo a campeã e, além disso, ele foi o campeão geral. Segundo dados passados pela BT, em novembro de 2019, ele estava pesando 109kg, tendo perdido 6kg em dois meses.

Ao acabar o desafio, ele deu continuidade aos exercícios e se matriculou na BT. “Sou bem sincero em falar, a atividade física só tem trazido benefícios para minha saúde, seja a física, mental e emocional. Estou super adaptado, não me vejo mais sem a prática regular de exercícios”, encerra.

​ ​