Arquivo SA

Postado às 09h30 | 12 fevereiro 2021 |

Escola adapta festividades de Carnaval para programação reduzida nas salas

Se antes as turmas de todas as idades se encontravam no ginásio do Colégio Nossa Senhora das Neves, em Natal, para comemorar o Carnaval, este ano o cenário será bem diferente, mas a data não passará em branco. A escola decidiu manter todo o contexto referente a essa festa que tem fortes raízes históricas e de grande tradição popular brasileira, mas restringindo as movimentações apenas para o espaço de cada sala de aula, com adereços apenas individuais e sem compartilhamento de objetos tradicionais, como serpentinas e confetes. Mesmo com as restrições, a ideia é manter a alegria característica da festa e remetendo às referências culturais e histórias que fazem conexão com os conteúdos estudados.

As restrições são necessárias em virtude dos protocolos sanitários para conter a propagação da Covid-19, ainda nesse contexto de pandemia. A programação conta com confecção de adereços, marchinhas e outros ritmos, oficinas de máscara de proteção e máscara de baile. 

No contexto pedagógico, os anos iniciais do Ensino Fundamental estão trabalhando de forma interdisciplinar, envolvendo História, Língua Portuguesa, Artes, Música, Inglês, Ciências e Ensino Religioso. Já nos Anos Finais, os professores de História, Geografia e Língua Portuguesa prepararam um conteúdo especial e voltado para a temática. No Ensino Médio, os professores trabalharam conteúdos referentes ao carnaval e para o Pré 2021 terá a festa dos cursos, momento em que os alunos pintam nos braços o curso e a universidade escolhidos. 

As crianças da Educação Infantil poderão ir fantasiadas. Para os demais estudantes serão permitidos apenas adereços no cabelo e maquiagem. Máscara, apenas a de proteção. Todas as programações foram pensadas para acontecerem também com os estudantes que estão no ensino remoto e seguirão as medidas de biossegurança, respeitando o distanciamento social.

Além dos momentos realizados em sala de aula, a escola também realizará uma live no canal do YouTube com o tema "Abre alas que a trupe vai passar", que acontecerá nesta sexta-feira (12), às 19h.

Postado às 08h30 | 10 fevereiro 2021 |

Alzheimer: conheça as atividades que ajudam a estimular o cérebro 

O cérebro é um dos mais importantes órgãos do corpo humano, ele é responsável por processar informações dos sentidos juntamente a outras estruturas do encéfalo, iniciando movimentos e influenciando no comportamento emocional, além da linguagem, consciência, memória e outras funções.

Parte do sistema nervoso, representa apenas 2% da nossa massa corporal, porém consome mais de 20% do nosso oxigênio. Para manter a mente e o cérebro saudável é necessário a prática de alguns exercícios, como explica a neurologista do Hapvida, Drª Cintya Melo.

"Fazer palavras cruzadas, usar a tecnologia, jogar xadrez ou até mesmo fazer contas no papel podem ajudar por exemplo, a combater o alzheimer"- doença neuro-degenerativa que provoca o declínio das funções cognitivas, reduzindo as capacidades de trabalho e relação social. Segunda a neurologista, o Alzheimer é a causa mais comum de demência.

Para identificar se uma pessoa está contraindo a doença observe os seguintes sinais: alterações na memória, personalidade e habilidades espaciais e visuais; dificuldade para falar, realizar tarefas simples e coordenar movimentos; agitação e insônia; num estágio mais grave resistência à execução de tarefas diárias, incontinência urinária e fecal, dificuldade para comer, deficiência motora progressiva.

Para avaliar o estágio da doença e qual tratamento adequado é importante consultar o médico especialista. Segue mais dicas para estimular o cérebro:

- Usar a mão contrária;

- Assistir a filmes utilizando a legenda na língua original;

- Relembrar detalhes do dia a dia;

- Montar quebra-cabeça.

Postado às 08h30 | 10 fevereiro 2021 |

Parnamirim recebe Secretária Nacional de Atenção à Primeira Infância

O município de Parnamirim recebeu a visita da Secretária Nacional de Atenção à Primeira Infância, Luciana Siqueira, responsável pela formulação e implementação de políticas e programas intersetoriais para a promoção do desenvolvimento humano, em especial para a primeira infância. 

A Secretária foi recepcionada pelo vereador Thiago Fernandes e pela Secretária Municipal de Assistência Social, Alda Leda Taveira. Em seguida, se reuniu com o vereador em seu gabinete, na Câmara Municipal de Parnamirim, para debater sobre ações voltadas para a primeira infância na cidade. 

Em pauta, o Programa Criança Feliz (PCF), que promove o desenvolvimento integral das crianças de até seis anos de idade, com visitas regulares para auxiliar em sua proteção e crescimento saudável. O PCF foi paralisado em novembro de 2020 em Parnamirim, mas deve ser retomado pela prefeitura nos próximos dias. 

“Constatamos que o programa foi suspenso no final do ano passado e imediatamente fizemos uma indicação pela sua retomada”, afirmou o vereador. “Ficamos felizes em saber na manhã de hoje, pela Secretaria de Assistência Social, que todos os esforços estão sendo realizados para reativação do programa o mais breve possível”, revelou Thiago Fernandes. 

O programa Criança Feliz, de autoria do Governo Federal, foi criado em 2016 com foco no atendimento a gestantes e crianças de até seis anos de idade. Ele é responsável pelo desenvolvimento integral das crianças na primeira infância, considerando sua família e seu contexto de vida. A ação principal do Criança Feliz é a realização de visitas domiciliares, que apresentam estratégias de aproximação dos serviços com as famílias atendidas, assumindo assim as perspectivas de prevenção, proteção e promoção do desenvolvimento infantil. 

Postado às 09h00 | 08 fevereiro 2021 |

Em meio à pandemia, DPE/RN aumentou em 10% atendimento à população

A Defensoria Pública do Estado do Rio Grande do Norte (DPE/RN) registrou 169.366 atos em favor dos potiguares durante o ano de 2020. Os dados são do Relatório da Corregedoria Geral da instituição que contabilizou 98.805 atendimentos cíveis, um aumento de 10,63% quando comparado ao ano de 2019. O número total de atendimentos chegou a mais de 104 mil, uma média de 415 por dia, mesmo em meio ao contexto de trabalho remoto determinado pela pandemia da Covid-19.

O relatório tem como base os dados enviados pelas defensorias e núcleos de atendimento. “Durante o período de isolamento social imposto pela pandemia, montamos um comitê de crise que analisou as adaptações que seriam necessárias para continuarmos atuando e um dos primeiros passos foi a abertura de canais de atendimento virtuais”, analisa o defensor público-geral do RN, Marcus Vinicius Soares Alves.

Para o trabalho remoto, a instituição abriu mais de 30 canais de atendimento no formato virtual, incluindo formulários para demandas gerais, coletivas e de violência doméstica. Em Natal, o atendimento passou a ser conduzido através de uma Central de WhatsApp. A ferramenta também foi adotada para os demais núcleos com fornecimento de linhas e aparelhos telefônicos.

A atuação coletiva foi outro diferencial da instituição em um ano com tantas mudanças nas relações sociais. Os núcleos de atendimento impetraram mais de 30 recomendações em áreas como saúde, educação e assistência à população de rua. Os defensores e as defensoras atuaram para garantir que os planos de saúde e escolas preservassem os direitos de seus consumidores em meio às mudanças impostas pela pandemia.

A DPE/RN também se manteve atenta às demandas da população durante o período de retomada da economia. Foram impetradas ações voltadas para a questão do transporte público coletivo e acompanhamos a Secretaria Estadual de Educação na reestruturação da rede para retomada das aulas presenciais. Ao todo, a instituição propôs 11 ações coletivas em favor da população potiguar e contabilizou 45 atuações extrajudiciais, além de ter celebrado 315 acordos ao longo do ano.

A Corregedoria Geral também precisou adaptar a sua forma de atuação durante a pandemia. Sem a possibilidade de visitas presenciais, as correições foram realizadas em sua maioria em encontros virtuais. Ao todo, o setor realizou 77 correições no ano, analisou 225 processos e 223 peças processuais.

“Seguimos melhorando as políticas de trabalho auxiliando a definir as ações prioritárias para o exercício seguinte, distribuir as atividades de forma equânime, e definir parâmetros de produtividade que auxiliem a Instituição a gerenciar o seu crescimento. De forma que, todo e qualquer avanço conquistado tem por objetivo final o atendimento ao assistido em sua integralidade com um trabalho de excelência e qualitativo, obedecendo todos os direitos garantidos em lei e prestando contas à sociedade potiguar”, registra a corregedora geral, Erika Karina Patrício.

Postado às 09h00 | 08 fevereiro 2021 |

Ferramentas tecnológicas são alternativas para manter a rotina de exercícios

O verão é um dos maiores protagonistas de todo o começo de ano. Para muitas pessoas, a época é marcada por férias e viagens. Mas é também na alta estação que muitos frequentadores de academias “relaxam” com os treinos. Para esse público, a recomendação de especialistas é tentar conciliar lazer com atividade física.
 
“Em tempos de pandemia, em que é fundamental ter um corpo são, aumenta a importância de o indivíduo manter um bom condicionamento físico e um estilo de vida saudável”, frisa o coordenador fitness da Bodytech Tirol, Thiago Siqueira. “As pessoas que sabem da importância de se manterem ativas e as que já contam com uma rotina de treinos regulares tendem a se preocupar mais. Esses indivíduos acabam dando um jeito de adaptar o seu treino dentro da sua rotina de férias", complementa.
 
O exemplo mencionado por Thiago é referendado pela servidora pública Yoanna Fernandes, de 47 anos. "Mesmo quando viajo, levo meu tênis e minha malha para me exercitar", conta. Quando não está curtindo viagens de curta duração, a empresária Lorena Santos, de 39 anos, também procura manter sua rotina de atividade física. "Faço caminhadas mais aceleradas, corridas, saio para pedalar. A prática de exercícios é uma prioridade por me deixar bem. É uma necessidade como escovar os dentes. Não vivo sem", descreve.
 
Para quem viaja e quer continuar realizando atividades físicas longe das academias, Thiago Siqueira recomenda duas ferramentas para treinos on-line. O primeiro é o aplicativo BTFIT, considerado pela Apple, em 2015, como um dos 20 melhores apps no mundo dentre todas as categorias. A plataforma simula uma academia física no computador ou em dispositivos móveis sem precisar que os alunos utilizem equipamentos específicos, dando liberdade para treinarem independentemente do local, região ou horário, através da internet ou fazendo o download das aulas antecipadamente de forma que fiquem armazenados no aparelho.
 
O app conta com aulas Coletivas (de Mat Pilates, 20 Minute Workout, Yoga, Ballet Fitness, Cardio Dance e Abdominal); programas de treino de 7, 15, 21 ou 30 dias com diferentes objetivos como Bumbum na Nuca, Agora Vai 2.0, Coxa Grossa, Barriga Chapada, 7 Dias Insanos, BTFIT Combat e Alongamento em 10 aulas; além de Personal Trainer Online que prescreve um treino customizado, através de um algoritmo exclusivo da Bodytech, com séries baseadas em cada objetivo, condicionamento físico e tempo disponível.
 
BT Home
Já o Programa BT Home conta com treinos individuais e aulas coletivas ao vivo, que duram cerca de 30 minutos e são realizadas com o peso do próprio corpo ou com equipamentos do aluno. As atividades são ao vivo e com interação direta com os professores de Educação Física da Bodytech, treinados para liderarem aulas à distância, proporcionando aos clientes um modelo híbrido. Para ter acesso a BT Home, o cliente faz o agendamento no App Bodytech e as aulas acontecem através do Zoom.
 
O BT Home é o novo Programa da Bodytech e nasceu em função da alta demanda por treinos online, visto que houve um aumento de 300% de downloads do BTFIT durante a pandemia. Nele, o aluno pode adaptar o treino em conjunto com o personal ao vivo como se estivesse dentro da academia. Além disso, o professor pode corrigi-los imediatamente caso estejam executando algum movimento de forma incorreta, montar aulas com as preferências de cada um e utilizar equipamentos disponíveis dentro de casa como bicicleta ergométrica, esteira, entre outros ou acessórios como elásticos, mini bands e halteres.
 
“Antes de treinar, é importante que o aluno verifique se o ambiente que escolheu para fazer a aula é seguro. A dica é afastar objetos que possam servir de obstáculo ou que atrapalhem na execução dos exercícios. Outra opção é simular um polichinelo, abrindo os braços e as pernas, e girar 360 graus. Se não encostar em nada, o local é seguro”, lembra Thiago Siqueira.

Postado às 08h45 | 08 fevereiro 2021 |

Empresas do Parque Metrópole oferecem mais de 55 vagas de emprego em diferentes

Em um período marcado por demissões e até falências provocadas pela crise socioeconômica da pandemia do Coronavírus (Covid-19), empresas vinculadas ao Parque Tecnológico Metrópole Digital – principal polo de tecnologia de Natal (RN) – estão oferecendo mais de 55 vagas de emprego, dentre ocupações CLT e estágios, nas áreas de TI e outros campos.

Com remunerações entre R$ 750 a R$ 8 mil, as vagas são acessíveis por meio da plataforma Jerimum Jobs – portal que conecta empresas a talentos em diferentes áreas. Até o momento, são 13 empresas ligadas ao Parque Tecnológico a cadastrarem oportunidades e a previsão é que esse número aumente ainda mais nos próximos dias.

Segundo Raphaela Galhardo, diretora de gestão da ESIG – empresa com 25 vagas abertas – muitos negócios tiveram que acelerar sua digitalização durante a pandemia, o que contribuiu para o crescimento da demanda por colaboradores.

“Houve uma mudança cultural abrupta, onde muitas atividades só puderam ser desempenhadas pelo meio digital. Houve a inclusão de muito mais pessoas e empresas na cultura digital e isso fortaleceu a área de tecnologia, gerando mais demanda para o setor”, destaca Galhardo.
 

Contexto de crise

De acordo com o diretor do Parque Tecnológico, Rodrigo Romão, a crescente demanda das empresas de TI advém da necessidade de criação de soluções tecnológicas no contexto de crise.

“A pandemia trouxe ao mercado de trabalho uma exigência abrupta de adaptação em decorrência do necessário distanciamento social. O segmento de TI, nas diversas áreas de atuação, foi quem propiciou a adaptação, permanência e sobrevivência de muitos negócios", afirma Rodrigo Romão.

Ainda segundo o diretor, “há quem diga, de maneira humorada, que passamos por uma revolução chamada ‘Transformação Covi Digital’, visto que a pandemia ‘forçou’ a adoção de novas tecnologias e a derrubada de alguns mitos, como o trabalho remoto”.
 

Parque Tecnológico

Com 67 empresas credenciadas e reunindo cerca de 900 postos de trabalho, o Parque Tecnológico proporciona estreito relacionamento entre mercado, governo e instituições de ensino, de modo a facilitar o desenvolvimento social e econômico do Rio Grande do Norte.

A iniciativa criada pelo Instituto Metrópole Digital, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (IMD/UFRN), também visa apoiar as ações relacionadas ao campo da ciência, tecnologia, empreendedorismo e inovação.

No âmbito do mercado de trabalho, o polo de tecnologia conta com o Jerimum Jobs – plataforma que já reúne 120 empresas e 1,4 mil usuários cadastrados.

A ferramenta visa conectar empreendimentos de TI vinculados ao Parque Tecnológico, bem como outras iniciativas, como projetos de pesquisa, com profissionais de diversas áreas e formações.

Empresas externas ao Parque, ou inseridas em áreas fora da TI, também podem cadastrar suas oportunidades, desde que as vagas ou a empresa sejam do setor tecnológico e os locais de trabalho estejam situados no Rio Grande do Norte.
 

Oportunidades:

• 25 vagas – ESIG Group
• 6 vagas – Laniaq
• 5 vagas – Surfmappers
• 3 vagas – Rits Tecnologia
• 3 vagas – Log Tecnologia e Sistemas
• 3 vagas – Hubbi
• 3 vagas – Construtor Digital
• 2 vagas – LogAp Sistemas
• 2 vagas – Hirix Software & Technology
• 1 vaga – POTI RN
• 1 vaga – Mix Internet
• 1 vaga – Logique Sistemas
• 1 vaga – GRT8

​ ​