Ideias Livres

Postado às 08h30 | 16 dezembro 2020 | Eduardo Passaia

ATAQUE AO LIBERALISMO

Me deparo com um artigo na Folha de São Paulo que, para atacar o liberalismo em si, acaba atacando um partido político, único que tem verdadeira essência liberal. O texto traz falácias e mais falácias sobre objetivos do liberalismo e tenta, através dessas falácias, trazer a falsa narrativa de um tal "neo liberalismo" que teria como o objetivo a proteção dos ricos em detrimento dos mais pobres.

Burke e SmithBurke e Smith, pais do conservadorismo e do liberalismo.

 

Bem, os liberais de hoje continuam a defender as mesmas pautas que os liberais clássicos defendiam no século 18 e 19. Liberdades e direitos individuais, tais como a vida, propriedade privada, liberdade de expressão, também o livre mercado e muitas outras ferramentas que fizeram o Mundo todo que se dispôs a seguir esses ideias, um mundo mais livre e próspero.

Antes das revoluções burguesas, o que tínhamos por todo o Mundo eram tiranos e mais tiranos e uma ideia comum de que a escravidão de súditos e de presos de guerra era algo normal e natural. Foram os liberais que ousaram colocar em cheque o poder dos reais absolutistas e a escravidão pelo mundo. São os liberais que se opuseram e continuam se opondo a qualquer tipo de aumento de poder político e principalmente centralizado.

São os liberais que se opõem duramente a toda e qualquer política identitária que, ao invés de propor soluções definitivas e simplórias, como as cotas, para problemas complexos, joga toda a sociedade numa eterna luta de classes. O liberal de verdade não aceita qualquer tipo de discriminação, seja ela social, de gênero, religiosa ou racial, promovendo sempre caminhos para que tenhamos igualdade de oportunidades.

O texto do jornal tem a pachorra de atacar a ideia de parcerias do Estado com instituições privadas na educação pública, acusando essa ideia de tentativa de desmonte do ensino público, como se esse tivesse algo de bom a ser mostrado em resultados, ignorando o sucesso desse tipo de ação mundo afora, até em países exaltados pelo progressismo, como a Suécia.

O texto traz como exemplo de liberalismo, a descriminalização do aborto na Argentina. O aborto nunca foi uma pauta liberal. O liberal, desde os tempos de Locke e Smith, e como escrito acima, tem em sua essência a defesa pela vida e o bebê que está no útero de sua mãe é uma vida. Podemos discutir, aliás devemos discutir sobre quando se inicia a vida, mas não existe consenso nas trincheiras liberais soibre esse assunto e simplesmente dizer que ser contra o aborto é ser conservador é simplesmente ignorância total sobre o tema, ou falta de honestidade intelectual.

Nenhuma outra ferramenta consegue proporcionar prosperidade e mobilidade social ascendentes como a Livre Mercado. Desde que Adam Smith escreveu sua obra prima A Riqueza das Nações, ninguém conseguiu demonstrar ou criar nada que possibilite fazer com que um cidadão comum consiga, com seu próprio trabalho e esforço, prosperar na vida. Obviamente que existem algumas distorções, e praticamente todas elas, proporcionadas pelo próprio Estado, tais como: subsídios fiscais, educação e saúde públicas em frangalhos, regimes diferenciados de aposentadorias, salários distorcidos entre a classe produtiva e o serviço público, diferença de investimentos em educação superior e de base, enfim, como diria Milton Friedman, ganhador do Prêmio Nobel de economia, "não se deve esperar que o Estado resolva os problemas que ele mesmo criou".

Milton Friedman

O liberalismo não procura defender ninguém, nem rico e nem pobre, pois acredita realmente no esforço de cada um e no potencial do indivíduo, mas isso não quer dizer que o iberal seja contra a interferência do Estado em situações claras de necessidade, muito pelo contrário. Programas como o Bolsa Família, que na cabeça de muita gente é tido como um prgrama progressista, tem em sua base as ideias de Milton Friedman, liberal da Escola de Chicago.

Fica clara a intenção do autor de flertar com os dois extremos de nosso espectro político, pois ele sabe que tanto liberais quanto verdadeiros conservadores não se deixam levar por esse clima hostil onde ser independente e fiel a princípios, valores e ideais não é mais permitido, porque esse tipo de atitude, como nos séculos 18 e 19, é subversivo e nada confortável pros déspotas dos século 21. Onde já se viu existirem pessoas que não estejam sujeitas às ordens dadas pelos comandantes do reino do #FECHADOCOMMEUPOLÏTICODEESTIMAÇÃO?

 

 

Eduardo Passaia

Turismólogo e liberal

 

Sigam-me nas redes sociais:

Youtube: www.youtube.com/c/EduardoPassaia

Instagram: @epassaia

Twitter: @eduardopassaia

Facebook: Eduardo Passaia Página

Postado às 09h45 | 10 dezembro 2020 | Eduardo Passaia

FELIPE NETO E NEYMAR. O MOLEQUE E O HOMEM.

Não sou contra quem queira comentar sobre tudo, até porque eu se fosse o contrário eu seria contra mim mesmo.

Acredito que pra pessoas inteligentes, isso deve funcionar bem, porque sendo inteligente você tenta não passar muita vergonha e acaba buscando mais conhecimentos, lendo e pesquisando sobre aquele assunto que você deseja arriscar o comentário.

O que acontece com o Felipe Neto é o inverso disso. Ele passa mais tempo pedindo desculpas por ter comentado besteiras sobre o que não entende do que estudando sobre esses assuntos. Pior ainda é que ele tem um hábito canalha de exigir posicionamentos das  pessoas, principalmente personalidades e tentar promover o cancelamento daqueles que não estão alinhados com sua forma de entender as coisas, se é que ele entende algo.

Quando começaram aqueles protestos violentos do Black Lives Matter nos USA, esse moleque exigiu que Neymar se posicionasse e apoiasse aqueles atos.

Como assim, um cara que fica famoso por tomar banho de banheira cheia de nutela e imitar foca quer exigir de alguém um posicionamento, seja ele qualquer que seja? Quer pautar as ações de cada um e autoritariamente dar sentenças de cancelamentos virtuais?

Nada mais ditatorial, e a meu ver fascista, fazer isso na internet, pra seu milhões de seguidores que prontamente invadiram a rede social do jogador exigindo aquilo que o foquinha mandou.

Aí chegamos ao dia em que no jogo do PSG, o quarto árbitro ofendeu o jogador camaronês do time turco de maneira racista.

O que faz o Neymar? Se esconde, se omite?

Não… ele lidera seu clube, junto ao time turco declarando que se aquele árbitro continuar por lá, os clubes não jogarão.

Sabe o que é isso?

Liderança, atitude de homem…

Coisa de gente que não precisa ficar se expondo como ditador do politicamente correto e assassino de reputações.

Neymar pode ter todos os defeitos do mundo, e deve ter muitos mesmo, mas sua atitude em poucos segundos, valeu por todas as postagens que o Felipe Neto fez durante toda  a sua vida.

Parabéns, Neymar! Ganhou totalmente o meu respeito.

Já o outro, vai continuar sendo o mesmo babaca de sempre!

 

Eduardo Passaia

Turismólogo e liberal

 

Sigam-me nas redes sociais:

Youtube: www.youtube.com/c/EduardoPassaia

Instagram: @epassaia

Twitter: @eduardopassaia

Facebook: Eduardo Passaia Página


 

Postado às 08h00 | 09 dezembro 2020 | Eduardo Passaia

MODERADO É A MÃE!

MODERADO É A MÃE!

 

Nessas eleições de 2020 vimos de tudo, mas de tudo mesmo!

Prefeitos que nunca trabalharam ganharam títulos de trabalhadores, vereadores que conseguem se eleger sem mostrar uma única pauta e aqueles que se elegem com apenas uma única pauta se esquecem que receberão dinheiro de toda a sociedade e não apenas de uma classe de privilegiados por suas ações.

Mas o que mais me chamou a atenção foi a cara de pau da esquerda de tentar se livrar da pecha de… esquerda.

Aqui em Natal tivemos meninas ricas virando comunistas substituindo a foice e o martelo pelo rosa pink, andando de Pajero (seria paga com o dinheiro do contribuinte?) pela cidade. Tivemos petistas deixando o vermelho e a estrela de lado e adotando amarelo, branco, mas nunca o vermelho. Todavia, nada foi mais ridícula do que a ideia de se pintarem de moderados. 

Moderado é a mãe!

Claro que os candidatos e marketeiros estão nas deles de enganar o máximo de pessoas possível com sua lenga lenga e, mais ainda, os ignorantes que não fazem questão de pesquisar quem são cada um desses candidatos.

A imprensa cada vez mais perde sua tão auto detonada credibilidade quando tentam imputar a Boulos e Manu D´avilla a falsíssima imagem de pessoas moderadas. Onde já se viu que alguém que defenda que a Venezuela seja uma democracia ou que Stálin e Lênin agiram corretamente, de acordo com a época em que viviam, podem ser considerados moderados?Considerarem Che e Fidel heróis, sem falar em como acreditam que pessoas devem se manifestar tirando os direitos do outros, invadindo propriedades privadas e incendiando pneus no meio das ruas, não é mesmo?

Como falar em moderação quando temos a presidente do PT voltando da Venezuela e dizendo que as eleições transcorreram de forma normal, quando 69% da população se absteve, quando os maiores partidos de oposição não participaram e outros tiveram, por ordem do governo, que ter seus presidentes nomeados pelo próprio governo? Essa senhora voltou de lá e o PT emitiu uma nota dizendo que continua a apoiar a “transformação” naquele país, iniciada por Chavez e intensificada por Maduro, dois sanguinários ditadores..

Não vou escrever o óbvio do quanto o socialismo do século XXI destruiu um dos países mais ricos da América Latina em tão pouco tempo, mas vou falar do quanto a democracia foi jogada na lata do lixo nesses anos.

Hugo Chavez e Maduro conseguiram modificar a constituição venezuelana a seu bel prazer pra fazer tudo o que quiseram, desde o poder eterno, até negligenciar a Assembleia Legislativa, tirando seus poderes apenas por terem perdido a maioria, passando por troca da Suprema Corte, prisão de dissidentes, fechar grupos inteiros de mídia e assassinar opositores.

Como diabos alguém da imprensa pode arrumar alguma maneira de chamar essa gente de moderado e democrata?

Ou essas figuras da imprensa são totalmente ignorantes, o que sabemos não serem, ou pessoas de péssimo caráter.

E claro, moderado é a mãe!

 

Eduardo Passaia

Turismólogo e liberal

 

Sigam-me nas redes sociais:

Youtube: www.youtube.com/c/EduardoPassaia

Instagram: @epassaia

Twitter: @eduardopassaia

Facebook: Eduardo Passaia Página



 

Postado às 07h45 | 08 dezembro 2020 | Eduardo Passaia

O STF E O TERROR DA INSEGURANÇA JURÍDICA

STF E A CONSTITUIÇÃO, NÃO TEMOS NADA PRA COMEMORAR.

 

Muita gente está comemorando que o STF decidiu, por 6 votos a cinco, impedir a reeleição dos presidentes da Câmara e do Senado. Quer dizer, estão comemorando que somente 5 ministros da nossa suprema corte resolveram dar um golpe na Constituição que eles juraram defender.

Não tem nada a comemorar quando a gente entende que temos 5 ministros que não se envergonharam nem um pouco em rasgar e queimar o texto frio da Constituição. Como comemorar que o mais novo ministro empossado, indicado pelo presidente do país, conseguiu distorcer a Constituição muito mais que os mais antigos? Saber que esse mesmo ministro terá mais 27 anos podendo continuar estuprando nossas leis. 

Já escrevi sobre a insegurança jurídica algumas vezes, mas acredito que dessa vez eles chegaram muito longe. Qual investidor sério, que não esteja atrás de aventura, que irá arriscar seu dinheiro em um país onde sua máxima corte brinca de ser legislativo quando bem entende e quando as ondas da política sopram sobre suas iluminadas cabeças?

Vi gente felicitando Marco Aurélio Mello, Rosa Weber, Carmen Lúcia, Barroso,  Fachin e Fux. Oras, eles fizeram o óbvio do óbvio. Simplesmente leram a Constituição e entenderam a mesma, mas não podemos esquecer que entre eles, um já votou para soltar traficante, outra votou contra a prisão em segunda instância, outra votou para anular processos na Lava Jato em cima de uma jurisprudência que nunca existiu, outro sentou em cima do auxílio moradia dos juízes durante anos, enfim, os heróis de hoje já foram os vilões de ontem e ninguém garante o que serão num futuro próximo.

Não custa nada relembrar que a Lava Toga foi barrada pelo governo, dependendo apenas de um voto que deveria ser do Flávio Bolsonaro que, ao invés de agir como prometeu em campanha, fez campanha contra. Me recordo também dos amantes do governo de plantão, o que eles diziam sobre impeachmeants de Gilmar e Toffoli, que só são lembrados em ocasiões bem específicas. Realmente, uma lástima.

O que sei é que essa “vitória” pode até ser comemorada por 15 minutos, mas que o alerta seja ligado e que na próxima escolha do presidente, seus seguidores deixem de ser esses zumbis que se tornaram e exijam que ele cumpra com suas promessas de moralização na corte maior de nosso país. Eu já duvido muito.

 

Eduardo Passaia

Turismólogo e liberal

 

Sigam-me nas redes sociais:

Youtube: www.youtube.com/c/EduardoPassaia

Instagram: @epassaia

Twitter: @eduardopassaia

Facebook: Eduardo Passaia Página

 

Postado às 08h30 | 04 dezembro 2020 | Eduardo Passaia

MARADONA, ARTISTAS E SUAS OPINIÕES!

Maradona se foi, um gênio dentro do campo e, para os argentinos, um deus, maior que Pelé. Mas e fora do campo? Devemos misturar o gênio da bola com o homem Diego Armando Maradona?

Acredito que podemos sim, separar um do outro. Foi o melhor jogador que vi jogar e isso não se apaga. 

Mas quando o esportista resolve usar de sua fama como esportista para tentar influenciar e dar pitacos em outras áreas? Aí, em minha opinião, a própria pessoa se coloca em posição de ser questionado e não se pode exigir que as pessoas comuns não confundam as duas faces desse ser humano.

É interessante como a fama traz uma aura de sabedoria para esses ungidos. Oras, o que um esportista, artista, cantor ou ator tem que o faz instantaneamente um formador de opinião sobre política, economia ou qualquer outro assunto? Devemos levar tão a sério pessoas que demonstram o tempo todo serem incoerentes em suas vida pessoais?  

Como posso achar válida a opinião de pessoas que não devem ser exemplos pra ninguém, tais como: esportistas que se doparam e se drogaram durante toda a sua vida e hoje querem ser exemplos para outras gerações, artistas que transam com garotas de 14 anos, atores que cospem na cara de mulheres quando são questionados por suas opiniões públicas…?

Hoje um dos maiores influenciadores políticos é um cara com mais de 30 anos que doutrina crianças e não tem qualquer conhecimento sobre os assuntos sobre os quais resolve comentar, trazendo desinformação total para quem o assiste e o leva a sério. Hoje, o que mais se vê desse youtuber é pedidos de desculpa sobre opiniões equivocadas. E claro que são pedidos de desculpa frágeis.

Sem falar na “cultura do cancelamento”, que é resultado de um dos maiores males que temos hoje na nossa sociedade: o politicamente correto. É esse politicamente correto que ataca alguns humoristas por fazerem piadas, mas passa pano para outros. Esse politicamente correto que massacra alguns atores que são acusados de assédio, mas que esquece de outros que estão alinhados em seus pensamentos políticos.

Voltando ao Maradona, o gênio dos campos que foi um péssimo exemplo como homem, envolvido com doping, com drogas, com casos e filhos fora do casamento, onde ele disse que nunca os assumiria e um defensor de ditaduras assassinas. Na juventude participou de atos em favor da ditadura argentina e mais velho era fã de sanguinários assassinos como Fidel, Chavez, Maduro, Che e tantos outros. Não importava pro Maradona o lado, mas sim o quanto de sangue que esses vagabundos derramaram em prol de seus desejos de poder.

Então, quando um homem ou uma mulher usa de sua fama conquistada com seu talento para ser relevante politicamente com suas opiniões, não se pode exigir demais que as pessoas façam essa separação, visto que a opinião dessa pessoa só teve alcance devido a sua evidência profissional

Dizer que não se deve misturar a vida profissional com a pessoal para poupar essas figuras de críticas que eles mesmos destilaram durante toda a sua vida, usando sua fama, é um ato mais que autoritário, é insano e canalha.

Não exija dos outros o que eles próprios não cumprem.

 

Eduardo Passaia

Turismólogo e liberal

 

Sigam-me nas redes sociais:

Youtube: www.youtube.com/c/EduardoPassaia

Instagram: @epassaia

Twitter: @eduardopassaia

Facebook: Eduardo Passaia Página

Postado às 10h30 | 02 dezembro 2020 | Eduardo Passaia

MORO, TRAIDOR E ANTI ÉTICO?

 

 

 

Muita gente ficou surpresa com a notícia de que o ex juiz e ex ministro da Justiça, Sérgio Moro, virou sócio de uma das maiores empresas jurídicas do Mundo. Empresa especializada em recuperações de grandes empresas.

Para quem se lembra de meus comentários sobre a saída do Moro do governo, vai recordar que eu dizia que ele nunca deveria seguir pela carreira política, algo que ele nunca afirmou ser sua intenção, e que deveria abrir uma consultoria mundial em compliance e ficar bilionário.

Foi isso que aconteceu ao ser chamado para ser sócio da americana Alvarez&Marsal.

Tudo que acontece com Sérgio Moro vira polêmica.

Dessa vez, juntaram-se finalmente  petistas e bolsonaristas, bem como a imprensa dolorida, para criticaR e tentar destruir a imagem do ex ministro. Mas claro que ninguém tem razão, primeiro porque Moro não deve explicação mais de sua vida pessoal a ninguém, principalmente a esses dois tipos de pessoas que sempre invocaram mentiras e calúnias sobre o ex juiz, amtes separados e por motivos diferentes, mas que agora estão bem juntinhos nas fake news e mais uma tentiva de assassinato de reputação e, segundo, porque ele não está fazendo nada de ilegal e nada de antiético como alguns bolsonaristas estão vociferando por aí.

Moro foi fritado nos seus últimos seis meses de governo Bolsonaro e saiu mostrando parte da traição a que foi submetido. Só para recordarmos aqui, lembremos do pacote anti crime, que por conta de uma aproximação do presidente da República com o Centrão, Jair Bolsonaro traiu Moro em seu principal projeto. Esse pacote foi destroçado pelo parlamento e quando chegou à mesa do presidente, onde ele, se seguisse tudo que pregou em campanha, deveria ter vetado várias partes dele. O que Jair fez? 

1- sancionou o juiz de garantias, com um pedido especial do ex ministro pelo veto e foi totalmente ignorado. Lembrando que essa emenda é do deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ), comunista, que o presidente jurou combater.

2- limitação de delação premiada. Com a sanção do presidente, uma Lava Jato hoje em dia, seria completamente impossível, ajudando assim, corruptos, milícias, traficantes e todo tipo de organização criminosa a qual o candidato Bolsonaro jurou combater.

3- impôs dificuldades para a prisão preventiva. Nem preciso comentar, né?

4- sanção de vários absurdos da Lei de Abuso de Autoridade.

Fora, é claro, a gota final que foi a intenção clara do presidente de mexer na Polícia Federal, que ficou notória em suas próprias palavras, que não iria esperar “f&der#m” seus parentes e amigos e que, caso não conseguisse trocar o superintendente, iria trocar até o ministro da justiça. Sem nos esquecermos do print que o presidente enviou para o seu ex ministro, onde ele mostrava que, para proteger seus deputados aliados, Moro deveria substituir o superintendente da Polícia Federal.

Nunca devemos nos esquecer que o Bolsonaro prometeu o ministério com “porteira fechada” para o Moro, onde ele, presidente, jurou que nunca interferiria em nada.

Creio que já basta para que a balela de que Moro saiu sem motivos do governo caia como mais uma narrativa estúpida.

Já sobre a petezada, entendo totalmente o ódio deles, pois Moro conseguiu aquilo que poucos acreditavam, desmontar a maior quadrilha brasileira. Nem preciso me estender mais.

Moro, ao aceitar a sociedade na empresa americana, deixou claro em seu contrato que não advogaria e não participaria de nada com empresas envolvidas na Lava Jato, o que acho uma tremenda besteira. A empresa em questão tem como cliente a Odebrecht e presta serviço em sua recuperação judicial, o que nada tem a ver com processos criminais na própria Lava Jato. A Alvarez&Marsal não atua advogando para a Odebrecht na Lava Jato.

Moro está assumindo a função de trabalhar para que as empresas clientes não participem de corrupção, para que elas tenham lisura e compliance em seus contratos com governos no Mundo todo.. Quer dizer, estão tentando detonar Moro por novamente fazer o certo, e agora, ganhar muito dinheiro com isso.

Só em um país onde a ignorância política e a polarização idiotizada imperam, que uma pessoa com formação impecável, trabalhos prestados de forma maravilhosa ao povo brasileiro (menos pra corruptos e amantes dos mesmos) e livre para tomar suas próprias decisões, resolve entrar na iniciativa privada para ganhar muito bem fazendo o que sabe e trabalhando para que empresas sejam melhores e não infrinjam a lei, pode ter gente tentando manchar sua biografia., chegando ao ponto de imputá-lo uma futura transgressão.

Nesse caso eu pergunto: qual régua essas pessoas estão usando?

 

Eduardo Passaia

 

Sigam-me nas redes sociais:

Youtube: www.youtube.com/c/EduardoPassaia

Instagram: @epassaia

Twitter: @eduardopassaia

Facebook: Eduardo Passaia Página

​ ​