Saúde e Afins

Postado às 09h15 | 25 junho 2020 |

DNA Center aumentar em dez vezes a testagem para diagnóstico da Covid-19

O laboratório DNA Center realizou um mutirão, nos últimos dias, com o intuito de atender à crescente demanda por exames de diagnóstico da Covid-19 e de garantir que o agendamento dos testes passe a ser feito dentro de um prazo de até 24 horas após a entrega da documentação exigida para a realização dos exames.

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, em março, o laboratório já ampliou em dez vezes a capacidade de realização dos testes, graças a um amplo investimento em pessoal, maquinário e atendimento, com o compromisso social de oferecer excelência na prestação de serviços e alta confiabilidade nos diagnósticos. Atualmente, o DNA Center dispõe de uma Central de Agendamento Presencial própria para exames de Covid-19, onde é possível marcar a coleta para análise no mesmo dia, desde que munido da documentação necessária.

Nos últimos dias, o DNA Center concretizou novo aporte em maquinário e insumos para a ampliação do número de testes, diante da fila de mais de duas mil pessoas que esperavam a realização dos exames por planos de saúde ou particular. Por ser o único laboratório privado a realizar testes de Biologia Molecular no RN durante a pandemia, não dependendo do envio de amostras para outros estados, o DNA Center tem recebido uma demanda crescente de exames de COVID-19. Os sistemas de atendimento chegaram a registrar até duas mil mensagens diárias para agendamento na semana passada.

“Nossa preocupação e cuidado é de oferecer ao norte-rio-grandense o que há de mais moderno e eficiente para o diagnóstico da Covid-19. Por isso, temos feito sucessivos investimentos para garantir a ampliação do atendimento, mesmo com o crescimento exponencial da demanda, que aumenta em uma velocidade muito grande”, afirma a diretora técnica e de inovação do DNA Center, Andrea Fernandes.

Central de Agendamento marca exames para o mesmo dia

Entre as iniciativas do DNA Center está a instalação de uma Central de Agendamento desses exames, em local aberto e seguindo todas as recomendações sanitárias, no estacionamento do Banco do Brasil da Avenida Afonso Pena. Na Central, é possível ao paciente agendar a coleta para o mesmo dia.

Além disso, o laboratório investiu na criação de um Drive Thru específico para a coleta dos exames RT-PCR de diagnóstico para pesquisa do SARS-CoV-2, considerado padrão ouro para o diagnóstico da COVID-19, com resultados entregues em até dois dias. A partir desta semana, o Drive passa a operar de domingo a domingo, com os seguintes horários: de segunda a sexta das 6h30 às 18h, aos sábados das 7h às 17h e, aos domingos, das 7h às 13h, aumentando a velocidade de atendimento dos pacientes.

Também foi realizado investimento para a ampliação do número de atendentes para marcação de consultas e SAC Online, bem como das ferramentas tecnológicas para recebimento de mensagens, disponíveis de domingo a domingo. O DNA Center mantém ainda seis equipes atuando na coleta domiciliar de exames, em Natal e na Grande Natal, em três turnos diários.

Postado às 08h45 | 23 junho 2020 |

Saúde do homem em meio a pandemia

Saúde mental, infecções sexualmente transmissíveis, doenças crônicas (diabetes e hipertensão, por exemplo) são alguns temas que devem ser debatidos na população masculina. Com o novo coronavírus, esses pontos devem continuar sendo observados em relação a pandemia, por isso o urologista do Hapvida Saúde, Felipe Melo, esclarece que ''os pacientes precisam manter o tratamento de determinadas doenças, apesar do covid-19, pra não evoluir o quadro de saúde. As doenças de cálculo renal e os cânceres de próstata, por exemplo, precisam continuar sendo acompanhadas pelos médicos para não trazer complicações''.

Os atos simples que promovem o bem-estar ajudam a manter a mente e corpo em perfeito funcionamento, prevenindo patologias. O especialista Felipe Melo afirma que ''estamos vivendo uma situação de exceção, mas as outras doenças continuam existindo, não podemos negligenciá-las. A saúde precisa estar em equilíbrio e que o sistema imunológico esteja em pleno funcionamento com o grau de nutrição elevado para o organismo conseguir ser imune às doenças que venham''.

O aconselhamento médico é válido para homens e mulheres, todos precisam dar continuidade no acompanhamento médico para verificar a saúde, como alerta o médico do Hapvida Saúde.  ''A capacidade do sistema imunológico é combater infecções. É preciso evitar excesso de gordura, tabagismo, controlar a pressão e glicose''. 

Estas iniciativas possibilitam o aumento da expectativa de vida e a redução dos índices de morbimortalidade por causas preveníveis e evitáveis nessa população. A recomendação é seguir as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do médico para dar continuidade aos tratamentos de doenças específicas que necessitam de atenção e procurar o serviço de saúde.

Postado às 08h00 | 23 junho 2020 |

Neurocientista detalha “como o cérebro aprende”

O processo de aprendizagem e os fatores que influenciam nisso de forma positiva serão abordados em uma live promovida pela Maple Bear Natal, na próxima quarta-feira (24), a partir das 17h. O tema em discussão será “Como o cérebro aprende”, com a participação da diretora pedagógica da escola, Ana Clara Costa, e da pós-doutora em Neurociência e pesquisadora do Instituto do Cérebro da UFRN, Janaina Weissheimer.  A transmissão acontece pelo Instagram, no perfil @maplebearnatal. A abordagem será direcionada ao momento atual, em que crianças e adolescentes vivenciam aulas on-line.

“Vamos abordar a importância do sono e da rotina para a aprendizagem e outras variáveis que influenciam positivamente, além de fazer um link com esse momento de aulas on-line e o ensino bilíngue, característico da Maple Bear Natal”, explicou Ana Clara Costa.

O fator cognitivo também será uma das variáveis abordadas durante a transmissão ao vivo. A pesquisadora do Instituto do Cérebro vai falar sobre as bases cognitivas da aprendizagem, principalmente sobre as funções executivas, como a atenção, o controle inibitório, a flexibilidade cognitiva e a memória de trabalho. “A gente explica como esse conjunto de funções tá na base do processamento mais elaborado que fazemos durante a aprendizagem, como é importante a gente focar na atenção, inibir distrações, ter uma memória de trabalho eficiente”, detalhou Janaína.

Outro fator que será abordado é a relação do cérebro com o aprendizado de uma nova língua e com o uso de novos tecnologias. Será possível entender como o cérebro bilíngue se reconfigura para acomodar duas ou mais línguas, como a memória da pessoa bilíngue se organiza e como funcionam esses sistemas compartilhados de ativação mútua. “A live também vai abrir espaço para compreendermos como a memória se comporta diante do avanço da tecnologia, mostrando a reconfiguração do cérebro de crianças e adolescentes para acomodar essas diferenças tecnológicas, como a leitura de tela e a memória expandida”, completou Janaína Weissheimer.

Postado às 08h30 | 18 março 2020 |

Entenda o que é o mal súbito, suas causas e formas de prevenção

O mal súbito não é considerado uma doença, e sim um sintoma de diversos outros problemas que pode culminar, dependendo do quadro clínico, leva à morte súbita. Segundo dados de 2010 do Ministério da Saúde, o estudo estimou 212 mil vítimas de morte súbita ao ano no país. Em 2016, o número saltou para 320 mil, segundo a Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas.

‘‘O mal súbito é a ocorrência de um sintoma, um mal-estar, um desconforto e que pode culminar, de acordo pela intensidade, à morte súbita que é aquela morte instantânea onde não há tempo do indivíduo chegar ao hospital dentro da primeira hora do primeiro sintoma’’, explica o cardiologista do Hapvida Saúde, Emerson Sena.

Nem sempre dá para evitar o mal súbito, isso porque ‘‘ em alguns casos a doença pode ser silenciosa e permanecer muitos anos e então a primeira manifestação pode ser dramática, levando a morte’’, esclarece o especialista. O ideal é manter a saúde em dia, evitar o estresse e tomar bastante água.

Em casos que o desconforto no peito começa a prolongar ou que o paciente nunca sentiu e passa a ter, principalmente, se a pessoa estiver com uma idade mais avançada ou tenha fatores de riscos, é essencial a busca pelo médico. ‘‘Apesar de prevalecer mais em idosos, esses sintomas vêm acometendo cada vez mais jovens, os motivos podem vim das doenças cardíacas ou genéticas’’, diz o cardiologista.

Em geral, o recomendado é consultar um médico, realizar exames preventivos, manter um estilo de vida saudável, incluindo cuidados com a alimentação, atividade física e atenção a condições como diabetes e obesidade. ‘‘O check-up é ideal fazer anualmente, mas para os indivíduos que têm doenças no coração, por exemplo, deve ser realizada a cada 6 meses’’, finaliza Dr Emerson Sena.

Postado às 08h15 | 17 março 2020 |

Aftas: o que são e o que fazer para evitar esse incômodo

Elas são pequenas, mas causam um grande incômodo. Um dos problemas bucais mais comuns, as aftas são inflamações na parte interna da boca que não têm causa definida, mas podem ser atribuídas a alguns fatores, como problemas no sistema imunológico. Em formato de pequenas feridas esbranquiçadas ou amareladas, elas aparecem na parte interna das bochechas, na língua e nos lábios e provocam dor e irritação.

Para nós, da MetLife, sua saúde e bem-estar vem em primeiro lugar. Por isso, listamos algumas dicas para evitar o aparecimento das dessas pequenas feridas e amenizar os seus sintomas.

Por que as aftas aparecem?

Especialistas afirmam que não existe uma causa definida, mas acreditam que alguns fatores podem estar relacionados ao surgimento das aftas. Problemas no sistema imunológico, estresse, alergias, refluxo gástrico, alterações hormonais, deficiência de algumas vitaminas, consumo exagerado de refrigerantes e alimentos condimentados, tabagismo e até fatores genéticos influenciam. A boa notícia é que as aftas não são contagiosas.

O que posso fazer para evitar as aftas?

Como não há uma causa determinada para o aparecimento das aftas, também não existe uma fórmula específica para evita-las.

Manter uma boa higiene bucal, com escovação frequente, uso de fio dental e bochechos com antissépticos, ajuda muito. Outra dica é consumir vitaminas que fortaleçam a sua imunidade, como vitaminas A, C, E e ácido fólico, juntamente com os minerais Zinco e Selênio. Os três últimos você pode solicitar ao médico como reforço através de medicação, e as vitaminas você encontra em diversos alimentos como verduras de folhas escuras, frutas cítricas, fígado, gema de ovo e óleos de peixes. Praticar atividades físicas e controlar o estresse também é recomendável, já que muitos especialistas relacionam as aftas a problemas emocionais.

Elas apareceram. E agora?

Quem já teve afta sabe que não é possível se livrar do problema de um dia para o outro. Elas costumam levar de 7 a 10 dias para desaparecerem, mas é possível amenizar o incômodo que provocam. Uma dica é ficar longe de alimentos muito picantes, ácidos ou salgados, já que a área da ferida fica muito sensível e você pode sentir ainda mais dores e ardência.

Bochechos com antissépticos naturais, como uma mistura de água e bicarbonato de sódio, podem ajudar. Também há medicamentos anestésicos, mas não use sem a recomendação do seu dentista.

Para manter a saúde bucal em dia visite o dentista regularmente. Nós, aqui da MetLife, nos preocupamos em criar 
planos odontológicos que atendam as mais diversas necessidades para que você encontre a sua melhor opção.

Postado às 08h15 | 17 março 2020 |

Dia Nacional dos Animais reflete sobre os cuidados com os pets

Os animais domésticos estão cada vez mais dentro de casa, ocupando espaços antes proibidos, como a cama de seus tutores, e ganhando espaço como membros das famílias. Apesar de ser uma realidade mais aceitável hoje em dia, nem sempre foi assim. Antes, mesmo sendo de estimação, muitos ficavam limitados aos quintais e áreas externas. Para celebrar essa proximidade entre humano e pets e reforçar a importância dos cuidados com eles, o Dia Nacional dos Animais é celebrado em 14 de março.

Um levantamento online realizado por Instituto Qualibest, com um total de 3.163 pessoas, mostrou que 70% dos que responderam têm animal de estimação. Deste total, 80% têm cães e 38% têm gatos. Ao serem perguntados se concordam totalmente com a afirmação de que tratam seus animais “como gente”, cerca de 54% respondem que sim.  

Categorizar os pets como membro da família faz bem. Segundo a psicóloga do Grupo Vila Beatriz Mendes, ter um animal de estimação possibilita bons ensinamentos principalmente para as crianças. “A experiência de ter um pet traz aprendizado, como cuidar e ter responsabilidades”, diz.

“Além disso, no momento da perda do pet, dependendo da forma como o adulto vai conduzir o momento, há uma oportunidade para que a criança aprenda mais sobre a morte e como vivenciar uma perda. Se isso for feito de modo cuidadoso, pode ajudar com as perdas durante os seus ciclos de desenvolvimento ao longo da vida”, explica Beatriz, que é especialista em luto.

Perder um animal é uma fase dolorosa para essa parcela da população que o trata como um familiar. De acordo com a psicóloga, esse momento requer atenção igual à perda de um amigo ou parente. “O luto por causa de um animal, na maioria das vezes, não é reconhecido. Muitos tendem a reduzir esse vínculo dizendo ‘não fica assim, é só um cachorro’, mas isso não é legal, pelo contrário, não ajuda e pode gerar ainda mais sofrimentos, como silenciamento, distanciamento e isolamento”, orienta.

Com diversidade de produtos e serviços, o mercado voltado para os animais no Rio Grande do Norte conta com uma alternativa de despedida com dignidade. Trata-se do Vila Pet, o primeiro crematório para animais do Estado. A iniciativa reforça que, nos sentidos ecológico e social, a cremação também é uma atitude responsável quando a morte do animal é causada por alguma doença com altos índices de contaminação como toxoplasmose, esporotricose, raiva e leptospirose, entre outras.

A psicóloga Beatriz Mendes explica que a ideia de realização de uma despedida é uma forma de validar a realidade da perda e uma oportunidade para que o tutor e demais pessoas que tinham vinculação com o pet possam construir uma despedia nos moldes que eles consideram importante e façam sentido para eles.

“O fato de se despedir de uma maneira que faça sentido para família e sentir que o momento da morte foi cuidadoso e respeitoso são fatores que podem contribuir para vivência do luto. Ainda que seja doloroso a ausência e que manifestações intensas de sofrimento possam surgir, compreender que a perda aconteceu, mas que foi possível construir uma despedida digna, cercada de cuidado e afeto são possibilidades de apaziguar, de amenizar um pouco essa dor que faz parte da vivência natural do luto. É uma forma delicada de honrar a relação e a história vivida com o pet”, finaliza Mendes.

​ ​